Dr. Paulo Perazzo assume ALLF

28/08/2013

Ele é um nobre Otorrinolaringologista com origem baiana e acaba de ser eleito o presidente da Associación Latinoamericana de Laringologia y Fonocirurgia (ALLF). Surpreso com a nomeação, Dr. Paulo Perazzo está satisfeito e faz planos para o Brasil. Confira abaixo a entrevista com o especialista:

O senhor pode nos informar qual a sua formação e as experiências principais?
Sou formado em Medicina pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), com residência em Porto Alegre no Hospital Universitário da PUC, sob a chefia do saudoso professor Rudolf Lang. Fiz mestrado na Santa Casa de São Paulo, doutorado na Unifesp, e sou professor na Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Durante seis anos, fui membro da diretoria da ABORL-CCF, presidente da Academia Brasileira de Laringologia e Voz (ABLV) e da Sociedade de Otorrinolaringologia do Estado da Bahia (SOESBA).

Como se deu o processo de eleição? O senhor concorreu com outros profissionais? Quantos?
O processo de eleição ocorreu durante o congresso, realizado em maio deste ano na Costa Rica, na reunião da Junta Diretiva. A nomeação como o próximo presidente da ALLF se deu por consenso dos membros da junta.
 
Quais os critérios para a indicação ao cargo? 
É preciso ser membro desta Junta Diretiva - o que exige experiência na área da Laringologia e conduta ilibada - e estar em dia com as obrigações estatutárias da associação.
 
Como o senhor se preparou ao longo da carreira para chegar ao posto que chegou?
Nada vem por acaso nas nossas vidas. Eu diria que esta preparação se deu ao longo de minha vida, fazendo-me sempre presente nas reuniões de entidades médicas da nossa especialidade, participando intensamente dos encontros nacionais e internacionais na área da Laringologia e Voz. Recentemente fiz o meu memorial e descobri que entre palestras e participações nestes encontros, ultrapassei 250 eventos científicos, em 27 países.

Aliás, o senhor tinha como objetivo presidir uma instituição com tamanha representatividade na especialidade? Era um sonho de carreira?
Eu diria que não era um sonho, mas uma meta intuitiva. Contudo, a escolha do meu nome, diante de nomes tão ou mais significativos que o meu no nosso continente foi uma grande surpresa para mim.
 
Qual é o sentimento ao conquistar a presidência da ALLF?
Tem um misto de alegria e de receios por tão grande responsabilidade, mas fico tranquilo, pois estou sendo apoiado pelo nosso presidente Dr. Agrício Crespo, e tendo a certeza que isto continuará com os presidentes seguintes, Dr. Fernando Ganança e Dr. Sady Selaimen, dois amigos de longa data.
 
Quais os principais desafios à frente da ALLF?
Sem dúvida, agregar novos membros ao quadro associativo da ALLF, fazendo com que tenhamos uma participação efetiva de todos os países do continente latino-americano. Somos uma associação "criancinha", com apenas seis anos de fundação. 
Outro desafio é realizarmos em conjunto com a ABORL-CCF um grande congresso em  julho de 2015, na cidade de São Paulo, com a participação de Laringologistas de todos os países latinos americanos na grade cientifica.

Que mensagem o senhor gostaria de deixar aos médicos que estão iniciando a carreira agora?
Pense longe, trabalhe duro e procure efetivamente participar das suas entidades médicas, em especial, as da nossa especialidade.

Há alguma informação que o senhor queira acrescentar?
Gostaria de agradecer  ao conselho administrativo da ABORL-CCF e, em especial, ao amigo presidente, Dr. Agrício Crespo, por todo o apoio durante a reunião em San José, para a vinda deste congresso ao nosso país.

 

Bookmark and Share